Vizinha à cidade grande, comunidade indígena mantém o idioma ancestral dos Guarani Mbya

mbya aEm uma das maiores metrópoles do mundo, indígenas Guarani Mbya preservam a língua originária que era falada por seus antepassados ainda à época do "descobrimento". Cerca de 1.500 pessoas vivem e preservam sua cultura ancestral distribuídas pelas oito aldeias da Terra Indígena Tenondé Porã, região metropolitana de São Paulo.

 


Imagem da capa: Mulheres Guarani Mybia cultivam variedades de batata-doce
(fotos: ONG Tenondé Porã)

Localizado a apenas 64 km do centro da capital paulista, esse território ocupa uma área de 15,9 mil hectares distribuídos nos municípios de São Paulo, São Vicente, São Bernardo do Campo e Mongaguá. Existem áreas da Terra Indígena que se sobrepõem a duas unidades de conservação: o Parque Estadual da Serra do Mar e a Área de Proteção Ambiental Capivari-Monos. É neste ecossistema protegido, que os Guarani Mbya mantêm forte a sua cultura, a começar pela língua materna ensinada nas duas escolas que ficam dentro da Terra Indígena e atendem as aldeias Krukutu, Kalipety, Tape Mirim, Tekoa Porã, Guyrapaju, Yyrexakã e Kuaray Rexakã.

mbya cA chefe do Serviço de Promoção dos Direitos Sociais e Cidadania/Funai na região, Karina Midori Ono, explica que "a preservação da língua viva, sua música e a prática de sua religião própria centralizam a transmissão e são os meios de manutenção mais eficaz da cultura Guarani, ainda que inseridos na maior metrópole da América Latina".


Visitantes são bem-vindos

De acordo com o site criado pela comunidade indígena para estimular o etnoturismo nas aldeias, "o povo Guarani habita a região da Mata Atlântica meridional há milênios. Nos últimos 500 anos, essa região, que para nós não tem fronteiras e que chamamos de Yvyrupa (termo que significa leito ou plataforma terrestre) foi imensamente devastada pelos não indígenas, os jurua: aqueles que tem 'cabelo na boca'. Hoje, a aldeia conta com diversas estruturas como escolas, posto de saúde, centro de cultura, além de roças e espaços coletivos onde são desenvolvidos projetos relacionados ao fortalecimento da cultura guarani".

Baixe o Plano de Visitação da Terra Indígena Tenondé Porã

Em 2018, a comunidade indígena criou o Plano de Visitação para que turistas e estudiosos pudessem ter uma experiência de imersão na cultura dos Guarani Mybia. Conforme o site tenondepora.org.br, "nos últimos anos, a comunidade tem batalhado pela construção de um Projeto Político Pedagógico diferenciado, que garanta que a escola seja um aparelho voltado ao ensino, mas também à preservação da cultura guarani".

 

 

Aldeia Tenondé Porã, a maior aldeia entre as sete da Terra Indígena de mesmo nome
mbya b

Assessoria de Comunicação Social

com informações da CR Litoral Sudeste