Vizinha à cidade grande, comunidade indígena mantém o idioma ancestral dos Guarani Mbya

mbya aEm uma das maiores metrópoles do mundo, indígenas Guarani Mbya preservam a língua originária que era falada por seus antepassados ainda à época do "descobrimento". Cerca de 1.500 pessoas vivem e preservam sua cultura ancestral distribuídas pelas oito aldeias da Terra Indígena Tenondé Porã, região metropolitana de São Paulo.

 


Imagem da capa: Mulheres Guarani Mybia cultivam variedades de batata-doce
(fotos: ONG Tenondé Porã)

Localizado a apenas 64 km do centro da capital paulista, esse território ocupa uma área de 15,9 mil hectares distribuídos nos municípios de São Paulo, São Vicente, São Bernardo do Campo e Mongaguá. Existem áreas da Terra Indígena que se sobrepõem a duas unidades de conservação: o Parque Estadual da Serra do Mar e a Área de Proteção Ambiental Capivari-Monos. É neste ecossistema protegido, que os Guarani Mbya mantêm forte a sua cultura, a começar pela língua materna ensinada nas duas escolas que ficam dentro da Terra Indígena e atendem as aldeias Krukutu, Kalipety, Tape Mirim, Tekoa Porã, Guyrapaju, Yyrexakã e Kuaray Rexakã.

mbya cA chefe do Serviço de Promoção dos Direitos Sociais e Cidadania/Funai na região, Karina Midori Ono, explica que "a preservação da língua viva, sua música e a prática de sua religião própria centralizam a transmissão e são os meios de manutenção mais eficaz da cultura Guarani, ainda que inseridos na maior metrópole da América Latina".


Visitantes são bem-vindos

De acordo com o site criado pela comunidade indígena para estimular o etnoturismo nas aldeias, "o povo Guarani habita a região da Mata Atlântica meridional há milênios. Nos últimos 500 anos, essa região, que para nós não tem fronteiras e que chamamos de Yvyrupa (termo que significa leito ou plataforma terrestre) foi imensamente devastada pelos não indígenas, os jurua: aqueles que tem 'cabelo na boca'. Hoje, a aldeia conta com diversas estruturas como escolas, posto de saúde, centro de cultura, além de roças e espaços coletivos onde são desenvolvidos projetos relacionados ao fortalecimento da cultura guarani".

Baixe o Plano de Visitação da Terra Indígena Tenondé Porã

Em 2018, a comunidade indígena criou o Plano de Visitação para que turistas e estudiosos pudessem ter uma experiência de imersão na cultura dos Guarani Mybia. Conforme o site tenondepora.org.br, "nos últimos anos, a comunidade tem batalhado pela construção de um Projeto Político Pedagógico diferenciado, que garanta que a escola seja um aparelho voltado ao ensino, mas também à preservação da cultura guarani".

 

 

Aldeia Tenondé Porã, a maior aldeia entre as sete da Terra Indígena de mesmo nome
mbya b

Assessoria de Comunicação Social

com informações da CR Litoral Sudeste

Destaques

class=Professores indígenas, crianças e anciões da Terra Indígena Kwatá Laranjal participaram da 3ª Oficina do Projeto Ya'õ Etabeg de revitalização da língua Munduruku. O principal objetivo da iniciativa é expandir o ensino...

class=Os Karajá das aldeias Fontoura e Santa Isabel do Morro deram o primeiro passo para a implantação do manejo participativo de pirarucus na Ilha do Bananal (TO). Entre os dias 1º e 7 de agosto, foram realizados cursos voltados...

class=Em apenas 20 dias como presidente da Funai, Marcelo Xavier já recebeu na sede do órgão, em Brasília, mais de 200 indígenas de várias etnias do país. Entre as principais demandas, as lideranças reivindicaram qualidade do...

 
 
 

acesso-informacao

banner 02

logo-ouvidoria

banner 04

banner 05