MME afirma que indígenas serão prioridade no Programa de Universalização do Acesso à Energia

mme1O presidente da Funai, Franklimberg de Freitas, se reuniu nesta semana no Ministério de Minas e Energia, em Brasília, com o diretor do Departamento de Políticas Sociais e Universalização do Acesso à Energia, Flamarion Souza Matos, para solicitar a concessão de energia elétrica às comunidades indígenas do país que ainda não possuem o serviço. Segundo Freitas, a presidência tem recebido uma demanda cada vez maior referente ao tema.

 

"Recebo inúmeras solicitações na Funai a esse respeito. Queremos participar desse programa e levar desenvolvimento para as comunidades que desejam e necessitam de energia elétrica. A abertura desse canal com o governo é importantíssima, porque uma concessão dessa quebra barreiras", ressaltou Freitas.

 

A ideia de iniciar as tratativas com o MME sobre o tema surgiu de uma reunião na Funai com indígenas da comunidade Kayapó. "A Tuíra (esposa do Paulinho Paiakã) levantou e me pediu: - Presidente, nós precisamos de energia nas nossas aldeias. Temos esse direito, como qualquer outro cidadão", lembrou Franklimberg.

 

Freitas ressaltou ainda a necessidade de dar mais visibilidade à energia solar e citou como exemplo o caso dos Waimiri-Atroari, que abastecem uma comunidade com mais de dois mil indígenas usando o recurso. "Para o indígena, esse sistema ainda está muito devagar. Seria muito importante que levássemos para todas as aldeias que precisam", sugeriu.

 

O diretor Flamarion Matos recebeu com muito interesse a solicitação e afirmou que os indígenas serão prioridade do Programa de Universalização do Acesso à Energia. "Essa é uma prioridade que vamos trabalhar no programa. Podem contar com este ministério para levar luz às aldeias brasileiras", afirmou.

 

Assessoria de Comunicação/Funai