Secretária Sandra Terena vai a município paulista denunciar crime racial contra indígena

Paresi agredido em MTEm São Carlos/SP nesta segunda-feira (18), a secretária nacional de Políticas de Promoção da Igualdade Racial do Ministério da Mulher, da Família e dos Direitos Humanos (MMFDH), Sandra Terena, visitou indígena que teve o braço amputado após agressões. Durante o dia, a representante do ministério também foi à delegacia do município entregar denúncia recebida pelo Disque 100 (Disque Direitos Humanos), que diz respeito à tortura e espancamento contra o indígena da etnia Paresi.

 

"Ele foi brutalmente agredido. Observem as feridas de mordida na mão e no braço esquerdo. Estão bem visíveis as mordidas que ele teve no rosto. Isso foi consequência de um crime de ódio racial que ele sofreu, que resultou, inclusive, na amputação do braço direito", lamentou Sandra Terena.

Sobre o crime, a vítima lembra que os agressores usaram as questões raciais como argumento. "Eles davam risada e me espancavam, batiam a mão na porta e falavam que eu ia aprender como se trata índio aqui no Brasil'".


Parceria

Membros da Comissão dos Direitos Humanos da Organização dos Advogados do Brasil (OAB) e representantes da sociedade civil acompanharam a secretária na ocasião. De acordo com informações das autoridades locais, o homem agredido tem 39 anos, é ajudante de serralheiro e foi espancado após discussão em um bar.


Disque 100

O Disque 100 funciona diariamente 24 horas por dia, incluindo sábados, domingos e feriados. As ligações podem ser feitas de todo o Brasil por meio de discagem gratuita, de qualquer terminal telefônico fixo ou móvel (celular), bastando discar 100. O serviço também pode ser acionado por meio do aplicativo Proteja Brasil e site Humaniza Redes.

O serviço pode ser considerado como "pronto-socorro" dos direitos humanos, pois atende também graves situações de violações que acabaram de ocorrer ou que ainda estão em curso, acionando os órgãos competentes, possibilitando o flagrante.


Fonte: MMFDH