Operação conjunta repele atuação ilegal em Rondônia

operacaopfAção conjunta entre Funai, Polícia Federal e Força Nacional apurou, na última semana, denúncias de que invasores estariam em processo de grilagem e retirada de madeira na terra indígena Igarapé Lage, no município de Guajará-Mirim, em Rondônia. A atuação repeliu a presença de infratores. Foram encontradas castanheiras derrubadas na localidade, espécie que tem retirada expressamente proibida por lei.

 

"Por solicitação do Ministério da Mulher, Família e Direitos Humanos, ocorreu em Porto Velho uma reunião entre Funai, Governo do Estado de Rondônia e outras instituições com o intuito de buscar parcerias no sentido de reduzir atividades ilícitas em terras indígenas da região. Essa última operação, conduzida pelo Superintendente da Polícia Federal, Caio Pellin, é um desdobramento desse esforço conjunto interagências. Diversas investigações nesse sentido estão sendo realizadas, no intuito de dirimir as atividades ilícitas nas terras indígenas de Rondônia", afirmou o Diretor de Proteção Territorial da Funai, João Loureiro.

 

Reunião no fim de janeiro estabeleceu parâmetros para cooperação

 

No último dia 29, o presidente da Funai, Franklimberg de Freitas, o governador Coronel Marcos Rocha, o vice-governador Zé Jodan, o Ministério Público Federal, a Ordem dos Advogados do Brasil, o comandante da 17ª Brigada, o superintendente da Polícia Federal, o comando geral da Polícia Militar, o Corpo de Bombeiros e representantes e lideranças indígenas participaram de reunião no Palácio do Governo de Rondônia para organizarem uma força-tarefa contra as invasões aos territórios Uru-Eu-Wau-Wau, Karipuna e Karitiana.

 

No dia seguinte, o presidente da Funai sobrevoou as Terras Indígenas Uru-Eu-Wau-Wau e Karipuna para averiguar denúncias de que posseiros e madeireiros estavam invadindo as áreas e ameaçando os povos indígenas da região.

Vagner Campos
Assessoria de Comunicação/Funai