Fórum Social Mundial reúne mais de dois mil indígenas em Belém

CAPA FSM 2009 A 9ª edição do Fórum Social Mundial (FSM) vai reunir o maior número de indígenas, desde o início de sua primeira edição. São esperados cerca de dois mil indígenas e parte desse grupo já chegou a Belém/PA, sede do evento em 2009, de 27 de janeiro a 1º de fevereiro. As discussões da temática indígena acontecem em diversos espaços na Universidade Federal do Pará (UFPA) e na Universidade Federal Rural da Amazônia (UFRA), mas grande parte dos eventos está concentrada na Tenda dos Povos Indígenas. Os temas abordados envolvem, dentre outros, territórios e preservação ambiental, militarização e questões sociais e serão tratados em espaços diferenciados do Fórum.

 

Roberto Espinoza, uma das lideranças que coordena a participação dos povos indígenas no FSM, conta que para viabilizar a participação indígena houve, em primeiro lugar, uma decisão do Conselho Internacional do Fórum de incorporar a questão indígena nos temas prioritários. Depois, houve a articulação entre as organizações internacionais de povos indígenas: a Coordenação das Organizações Indígenas da Bacia Amazônica (COICA), a Coordenação das Organizações Indígenas da Amazônia Brasileira (COIAB) e a Coordenação Andina de Organizações Indígenas (CAOI). "Mas o mais importante foi a iniciativa própria das organizações indígenas de base, que encontram no fórum a oportunidade de falar sobre os problemas que afetam não só aos povos indígenas, mas toda a humanidade", conta Espinoza.

Como membro da CAOI, Espinoza explica que haverá mais de dois mil indígenas contribuindo com manifestações em muitos espaços do Fórum, mas diz que é preciso que haja participação e presença, principalmente para que sejam firmados acordos de ação. "Vai ser a nossa oportunidade de falar da Amazônia, região para onde o mundo inteiro foca suas atenções, a partir dos povos da Amazônia. Por isso, o nosso grande empenho em garantir que a representação destas comunidades tradicionais seja qualitativa e quantitativa", ressalta Aldalice Otterloo, membro do Grupo de Facilitação do FSM.

Envolvimento institucional

Pautados pelo protagonismo indígena e pela gestão participativa, dirigentes e técnicos da Funai estão em Belém para o Fórum. Os servidores foram convocados para apoiar e acompanhar as atividades indígenas, além de contribuir para as discussões temáticas. Requisitada pela organização do FSM, a Funai também apóia com o fornecimento de gêneros alimentícios, que serão preparados pelos organizadores do Fórum Social para as refeições dos indígenas inscritos.

Representantes indígenas da Comissão Nacional de Política Indigenista (CNPI) também foram convidados para acompanhar o FSM, considerando que pela primeira vez a Funai, que preside a CNPI, está mobilizada para participação no evento. A Funai e a CNPI procuram, com esta participação, ampliar ainda mais o espaço de diálogo com os movimentos sociais indígenas e organizações engajadas na defesa dos direitos dos povos indígenas.

Destaques

class=A Polícia Federal iniciou a deflagração simultânea de duas operações policiais nesta manhã (17/06/2019), no bojo da ação denominada SOS Karipuna, com o objetivo de desarticular organizações criminosas instaladas na...

class=Após seis anos de implantação do Projeto Babaçu Toroya, a Aldeia Iratana do Povo Paiter Suruí inicia a ampliação do cultivo de babaçu. O resultado é o processamento da produção e a geração de renda para os cerca de...

class=O Diário Oficial da União (DOU) desta sexta-feira (14) publicou a exoneração do general Franklimberg de Freitas do cargo de presidente da Fundação Nacional do Índio. No lugar dele, interinamente, assume Fernando Maurício...

 
 
 

acesso-informacao

banner 02

logo-ouvidoria

banner 04

banner 05